No Limite e seus patrocinadores

Todo mundo já assistiu algum reality show, né? Quem não conhece alguém que não para de falar sobre um programa? Afinal, em 2020, o "BBB" e "A Fazenda" foram os mais comentados no Twitter! No ano passado, houve um salto de 373% na quantidade de citações sobre realities shows, por isso não é de se espantar que somos um dos países que mais assiste a essa categoria de programas. Inclusive, uma pesquisa mostra que 89% dos entrevistados já assistiram algum reality show, 56% assistem frequentemente e 25% acompanham notícias sobre seus programas favoritos e todos nós sabemos quem é o queridinho dessa galera: o "Big Brother Brasil".


É impossível alguém falar que o "BBB" não é um sucesso. Só neste ano de 2021, a Globo faturou R$ 529 milhões com as diversas marcas que buscavam uma parte desse sucesso todo através de ações de brand experience, chegando até a ter fila de espera para anunciar no programa. Com isso em mente, a emissora já se preparou para tentar repetir esse feito quando a casa mais vigiada do Brasil acabasse, voltando com o programa "No Limite" com ex-participantes de diversas edições do "BBB".


Logo no primeiro episódio, já recebeu mais críticas do que elogios e, com o decorrer das histórias, isso só tem piorado. O programa peca muito na interatividade com os seus espectadores, mas o que realmente complica a sua situação são os patrocínios. Diferentemente daquelas ativações surreais do "BBB'', com diversas mecânicas, estilo de provas e prêmios, sempre fugindo da mídia tradicional, No Limite faz algo completamente diferente disso, praticamente o oposto. :/


O time principal de patrocinadores é composto pela Amazon, Ambev, Hotéis.com, Hypera, iti (marca do Itaú) e Unilever. Por incrível que pareça, nenhuma delas foi muito marcante! Para não dizer nenhuma, a Amazon teve uma presença um pouco maior quando entregou alguns produtos para quebrar o clima entre os participantes. A situação fica pior se colocarmos essa ativação ao lado do seu concorrente Alibaba, que não trouxe nada mais, nada menos do que um avião para dentro da A Fazenda em 2020, promovendo desafios e listas de desejos de produtos que tinham no Aliexpress.


A Ambev também trabalhou um pouquinho mais do que as demais empresas, mas também nada demais, apenas umas cervejinhas da Skol para os participantes vencedores de uma prova saborearem. O engraçado disso tudo é que mal foram mostrados os participantes aproveitando a bebida!


É fato que as provas são uma das partes mais interessantes dos realities, portanto parte do sucesso de "No Limite" está nas mãos dos patrocinadores. Para que o patrocínio dê certo, os profissionais de marketing precisam pensar em formas mais criativas para fazer suas ativações, fugindo das mídias tradicionais e deixando a sua marca gravada na mente do público.


No BBB, a genialidade estava justamente na participação das marcas no dia a dia real dos Brothers. As inserções foram tão bem pensadas, que diversas provas levaram o nome dos patrocinadores, inclusive na entrega final do prêmio, com uma participação super estratégica do PicPay.


E aí, você acompanhou / acompanha algum dos realities? O que achou?



Fontes:

https://www.promoview.com.br/blog/opiniao/entretenimento/no-limite-pode-ser-um-tiro-no-pe-dos-patrocinadores.html

https://mindminers.com/blog/reality-shows-brasil-perfil-e-audiencia/

https://www.kantaribopemedia.com/wp-content/uploads/2021/03/Inside-Video_A-Redescoberta.pdf


PUBLICAÇÕES RECENTES

NOSSAS REDES SOCIAIS 

  • Facebook
  • Instagram
  • Linkedin