Mais likes, menos likes... mais curtição!


Com a medida do Instagram de ocultar likes das fotos de seus usuários, o assunto segue em alta entre marcas e influenciadores.

A mudança aconteceu após especialistas discutirem sobre o quanto a rede social estaria impactando na autoimagem dos usuários :/ O foco da alteração estava nas curtidas e na forma em que elas serviam para fazer do Instagram uma disputa de ego e conquistas. O ponto principal é o conteúdo compartilhado na rede que, em maior parte, é a perfeição da vida dos perfis influentes, gerando, assim, conflitos psicológicos em quem recebe o conteúdo - what????

O update proporcionou impacto positivo para a maioria dos usuários, uma vez que isso permitiu voltar a atenção ao conteúdo, e não somente para avaliações subjetivas criadas por meio dessas interações. Quando a criação de conteúdo leva em consideração somente a aprovação, o tipo de postagens tende a seguir uma baixa variedade, resultando em posts parecidos ou pouco criativos.

Uma das maiores consequências da extinção da quantidade de likes da rede acaba caindo sobre as marcas, que veem no Instagram uma oportunidade de investimento para o alcance e engajamento de seu público - oi alunos de gestão de mídias sociais!!! Com isso, torna-se necessário que os profissionais envolvidos tenham ainda mais claros seus objetivos de campanha para saber o que buscar, além de acompanhar e medir as ativações de maneira mais próxima.

O Jornal do Comércio realizou uma análise das interações de grandes marcas com a nova atualização, revelando uma redução aproximada de 20% no número de likes nas publicações de marcas e na quantidade de postagens, que diminui 18%. O engajamento geral, no entanto, aumentou - a estatística era de 0,57% antes do fim dos likes e foi para 0,60% em seu pós-fim. Ademais, o número de seguidores segue crescendo, ou seja, as marcas não perderam seguidores, mas ganharam! :D

Os mais atentos a esse impacto de retirada das curtidas são os influenciadores. Dados do Business Insider Research apontam que o marketing de influência movimentará até 2022 um valor bruto entre US$ 5 bilhões e US$ 10 bilhões. Nos dias após a nova medida, grande parte dos influencers aqui no Brasil elogiou a ação, dando destaque aos ganhos psicológicos na medida em que as pessoas poderão se libertar da busca incessante pela aprovação. Yeah!

Mas isso não é consenso… Alguns acreditam que essa é uma estratégia do Instagram para unicamente enfraquecer a visibilidade dessas pessoas e levar ao aumento dos posts movidos pelo patrocínio. Explicando um pouquinho melhor: para grandes marcas, é bastante interessante fazer parcerias com influenciadores - e um fator de análise é o engajamento do público com os IGs, medido pelo número de curtidas em relação aos seguidores. Com as marcas incertas a respeito dos influencers, torna-se mais provável e seguro criar campanhas pagas ao Instagram. Partiu posts patrocinados?

E aí? Qual sua opinião sobre a retirada dos likes? Qual o verdadeiro motivo por trás disso? Será realmente um pensamento humanitário visando à saúde psicológica de seus usuários ou meramente mais uma jogada de marketing?

PUBLICAÇÕES RECENTES