Design thinking

O que é e como surgiu?


Design Thinking é um conceito que veio para revolucionar a maneira como encontramos soluções criativas e inovadoras para problemas. Tim Brown, CEO da Ideo, empresa norte-americana que presta consultoria em design, passou a resolver os problemas de seus clientes de forma holística, por meio de projetos que trabalhavam o olhar, a criatividade, a curiosidade e o aprendizado para gerar soluções.


O empresário estabeleceu a diferença entre ser um designer e pensar como um. Para ele, todos deveriam pensar como designers - mesmo quem não fosse da área - para conquistar um nível de inovação radical nas empresas e na vida.


Brown, com a ajuda de David Kelley, estruturou e disseminou o Design Thinking, aplicando-o para gerar soluções revolucionárias para seus clientes. O foco, neste momento, passou a ser (ainda mais) a experiência do consumidor. A grande diferença deste método é que ele parte da solução e não do problema, como normalmente acontece.


Essa abordagem se destaca por não partir de premissas matemáticas, mas do levantamento das reais necessidades de seu consumidor, sendo assim mais “humana”. De maneira geral, a razão de sua existência é a satisfação do cliente, conquista que só pode ser alcançada quando conhecemos em profundidade suas necessidades, desejos e percepções de mundo.


Afinal, o objetivo máximo de uma empresa é alcançar o coração do cliente da forma mais profunda possível… ou como dizia Steve Jobs, “design is not just what it looks like and feels like. Design is how it works!”


Este conjunto de práticas e processos cria as condições necessárias para que o time tenha insights e consiga colocá-los em prática. A proposta é que esse processo criativo seja construído de maneira coletiva e colaborativa, reunindo o máximo de ideias, perspectivas e visões diferentes possível.


Como funciona?


O processo consiste em tentar mapear e mesclar a experiência cultural, a visão de mundo e os processos inseridos na vida dos indivíduos, no intuito de obter uma visão mais completa na solução de problemas e, dessa forma, melhor identificar as barreiras e gerar alternativas viáveis para transpô-las.


As etapas do Design Thinking podem ser resumidas em 4 passos:


1. Imersão

Como já dizia o sábio filosofo chinês Sun Tzu, “se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas”.


A primeira etapa começa, então, justamente com a compreensão de si mesmo e do ambiente externo. Neste passo, é recomendado realizar uma análise SWOT para entender as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças da empresa. Some a avaliação de feedback dos clientes, o desempenho dos funcionários, o cenário político e econômico e, também, a cultura organizacional da companhia.


2. Ideação

Com a imersão concluída e com os pontos que precisam de solução mapeados, é momento de realizar um brainstorming para produzir ideias e gerar insights, a fim de descobrir a oportunidade de inovação. Nesta etapa, apoiamos no Processo Heurístico para descobrir o diagnóstico e no Processo Criativo para gerar as possibilidades de produtos. Por isso, é bacana agregar informações provenientes de pesquisas qualitativas e dados de Big Data, que auxiliam a aumentar as chances de sucesso.


3. Prototipagem e Teste

Agora é a hora de dar vida ao projeto. Após analisar todas as ideias e alternativas criativas, identifique qual a melhor solução e seus atributos. Crie uma versão que passe a experiência mais próxima da realidade, um protótipo, para testar sua criação.


Atualmente, uma boa estratégia já bastante utilizada é a aplicação do MVP – Minimum Viable Product, que nada mais é do que a versão mais simples de um produto. Ela, normalmente, é ser lançada em período de testes, para verificar, sem grandes gastos, se a ideia realmente atinge as necessidades do seu consumidor final.


4. Implementação

Após o momento de prototipagem, você terá informações suficientes sobre a performance da sua solução e sobre os ajustes necessários. Depois de realizar as alterações necessárias, é hora de implementar o que foi planejado e colocar no mercado! 😊


Diferencial e vantagens


Como você já deve estar esperando, o maior diferencial do Design Thinking é a sua eficiência para encontrar soluções para questões importantes da empresa, fundamental para seu desenvolvimento e excelência a longo prazo.


Além de o pensamento criativo ser uma estratégia competitiva e ajudar a potencializar ainda mais os lucros, uma das principais vantagens dessa abordagem é o seu custo. A implementação quase não gera despesas, enquanto sua vantagem competitiva é enorme e o potencial de retorno é ainda maior.


E last but not least...Por ser um processo que envolve diversos colaboradores e seus pontos de vista, o Design Thinking agrega valor em todas as áreas da empresa! Além de contribuir nos diversos setores, os profissionais poderão se sentir parte de um grande time, motivados e valorizados pela empresa, o que contribui para o aumento de produtividade da equipe.



Fonte:

https://endeavor.org.br/tecnologia/design-thinking-inovacao/

https://meusucesso.com/artigos/inovacao-e-tecnologia/o-que-e-design-thinking-conceitos-e-definicoes-132/

https://escoladesignthinking.echos.cc/blog/2019/09/guia-design-thinking/

https://insights.liga.ventures/inovacao/design-thinking/


PUBLICAÇÕES RECENTES

NOSSAS REDES SOCIAIS 

  • Facebook
  • Instagram
  • Linkedin