Com certeza você já viu um Native Ad

Não é novidade que grande parte das pessoas não confia mais nas formas tradicionais de publicidade. Buscam-se constantemente novas estratégias para impactar o público desejado e, diante deste contexto, surgem os tais “native ads”. Mesmo que ainda não saiba, você provavelmente já foi impactado por um... será?


Native ads, ou publicidade nativa, consiste em anúncios pagos que combinam com a aparência e a função do formato de mídia em que eles aparecem. Esta estratégia de marketing digital visa passar a mensagem do anúncio de forma camuflada, sem “assustar” o usuário durante a navegação, ou seja, com um conteúdo que se assemelhe ou possa acrescentar algo à página. Afinal, nada mais chato que aquela quebra no meio da sua leitura, né?


Dessa forma, o anúncio não fica solto somente como uma publicidade paga - muitas vezes incomodando a navegação do usuário :/ Ele procura ser uma parte integrante da página, podendo até ser relevante e complementar à leitura que o usuário já estava realizando.


Além de estarem presentes na forma de conteúdo recomendado em websites, os anúncios nativos também são comuns em aplicativos e feeds de redes sociais. Existem dois tipos de publicidade nativa: a interna e a externa. No caso de você ter interesse em criar anúncios para direcionar os usuários para dentro do seu próprio conteúdo, você vai criar uma publicidade nativa interna. Já a externa é a criação de publicidade paga numa plataforma de um terceiro.


Por serem constituídos de um anúncio personalizado, que se encaixa perfeitamente na interface e no design do aplicativo e/ou parece pertencer ao fluxo editorial da página, os native ads estão se apresentando como os melhores para envolvimento e que geram mais eCPMs!


As últimas estatísticas de publicidade nativa confirmam que esta estratégia é bastante atraente e confiável, gerando mais cliques e vendas do que outras formas de publicidade. Os anúncios gráficos nativos têm uma taxa de cliques (CTR) 8,8 vezes maior que os anúncios gráficos comuns!! :o


A publicidade nativa, além de possuir um maior engajamento visual, combate a fadiga publicitária - o que acontece quando o público fica entediado de ver anúncios – que por sinal, não faltam, né? Então é isso, meu pessoal... a chave é comunicar-se mostrando o conteúdo publicitário ao leitor sem destoar de maneira exagerada. #FicaADica


Muitas empresas, diante do sucesso deste formato, já aderiram à estratégia; o Google, por exemplo, utiliza muito bem o formato de native ads, tanto no buscador, como no Gmail – quase sempre de forma muito sutil e inteligente.


Mas onde mais encontrar e veicular native ads?? Bom, a plataforma brasileira UOL Ads se destaca por permitir veicular anúncios nativos em seus portais, que alcançam 93% da internet brasileira. A Taboola e a Outbrain são outras duas plataformas estrangeiras que atuam no Brasil. A primeira permite alcançar as pessoas no momento certo, veiculando conteúdos patrocinados ou branding vídeos e a Outbrain veicula anúncios nativos em feeds, links patrocinados e recomendações de conteúdo.


Já tá ligado no que são os tais anúncios nativos? Vamos ver dois exemplos para cristalizar ainda mais a ideia:

O primeiro é de um portal de notícias. O anúncio aparece ao final de uma matéria junto com outros artigos recomendados:

Como você pode ver, ele tem os mesmos elementos visuais dos outros artigos, a única diferença é a palavra “Patrocinado” em cima da headline, indicando que é um anúncio.


Quando você clica nele, você é direcionado para um artigo com 10 dicas para ter um fígado saudável. A princípio, este parece um artigo de blog como qualquer outro, porém uma das dicas é usar a famosa marca Epocler. Apesar de não ser uma ação clássica direta, proporciona o aumento do alcance e reconhecimento da marca. Baita sacada, né? Olha só como ficou:

O segundo exemplo é do Buzzfeed:


À primeira vista, parece ser apenas um teste, no entanto, se você observar o nome do autor, percebe que o primeiro foi escrito “em parceria” com uma empresa, enquanto os outros links têm apenas nomes de pessoas.


Quando você clica no link para testar o lugar ideal para passar as férias com o seu “doguíneo”, você é direcionado para um teste normal do Buzzfeed. Mas, como você já pode imaginar, depois do resultado, há uma chamada para fazer uma reserva nos hotéis Ibis – que aceitam animais de estimação. Ligeiros, né??



E aí, conta pra gente, o que você acha dessa nova moda de “camuflar” a propaganda? Já fez para a sua empresa? É claro que é muito mais agradável ser impactado por um anúncio deste tipo, mas será que não é contestável e problemático o fato de você estar o tempo todo sendo monitorado e, de certa forma, manipulado? Fica aí a reflexão...


Fonte:

https://www.wordstream.com/blog/ws/2014/07/07/native-advertising-examples

https://contentmarketinginstitute.com/2019/04/native-advertising-examples/

https://klickpages.com.br/blog/native-ads/

https://www.outbrain.com/pt_br/native-advertising/

https://blog.crowd.br.com/publicidade-nativa/

https://www.google.com.br/amp/s/www.agenciamestre.com/marketing-digital/native-ads/amp/

https://www.mundodomarketing.com.br/artigos/fernando-tassinari/38514/10-exemplos-bem-sucedidos-de-publicidade-nativa.html

https://www.google.com.br/amp/s/www.idealmarketing.com.br/blog/publicidade-nativa/amp/

https://pt-br.facebook.com/business/help/803489243128536?id=211412110064838





PUBLICAÇÕES RECENTES

NOSSAS REDES SOCIAIS 

  • Facebook
  • Instagram
  • Linkedin