A importância e a estrutura de uma squad

Podemos perceber que a valorização do potencial intraempreendedor dos profissionais é um win-win; ou seja, bom para as duas partes. Quando a empresa incentiva os seus colaboradores a empreender, a equipe fica mais motivada e se sente parte importante do desenvolvimento do negócio.


Além disso, outro movimento bastante forte é o das Metodologias Ágeis, como o Scrum. Esta metodologia de gestão e planejamento de projetos era a utilizada pelo Spotify, que acabou aprimorando e desenvolvendo a tal da Squad.


Em 2012, Henrik Kniberg e Anders Ivarsson, agile coaches da Spotify na época, publicaram o artigo “Scaling Agile @ Spotify with Tribes, Squads, Chapters & Guilds” que explicava como a empresa estava organizando estruturalmente o seu time.


Certo, mas e o que é essa tal de Squad?? Como o próprio nome já sugere (“esquadrão”, traduzido do inglês), faz referência às unidades de militares enviadas a um combate. Assim como um esquadrão militar, as Squads são equipes formadas para cumprir uma missão, atingir um objetivo específico.


De maneira resumida, a metodologia Squad é um modelo de organização de equipes multidisciplinares e pequenas, o que favorece uma comunicação eficaz e sem ruídos. Formadas por profissionais de diferentes áreas, como comercial, marketing, design, financeiro, tecnologia etc., são encarregadas de desenvolver, usando da expertise de todos, projetos de forma autônoma.


Em uma Squad, todos os profissionais se relacionam de forma horizontal, o que permite que eles se sintam mais valorizados, uma vez que não há uma hierarquia definida, sabe? Sem uma grande figura de liderança, os times são autogeridos, causando uma ruptura nos modelos tradicionais de hierarquia das grandes empresas. Masss, apesar de não existir um “chefe”, existe o PO (project owner), que é quem lidera o projeto. Continua lendo aí que a gente te explica direitinho ;)


Como você já deve estar entendendo, a grande diferença está na estrutura dessa equipe:





Calma, sem desespero... vamos te explicar o que significam todos esses novos nomes!!


Uma Squad é composta por um time, representada na coluna vertical da imagem. Cada uma é constituída por um PO (Product Owner), profissionais de desenvolvimento. O Product Owner é responsável pelo backlog do time e priorização das atividades – ou seja, tudo que está na fila de “to do’s”. Assim, é como se fosse o gerente do produto, mas isso não significa necessariamente uma hierarquia; é apenas mais uma função que garante o bom andamento do projeto.


Na horizontal, a estrutura está mais relacionada à troca de conhecimento e melhoria contínua. As linhas horizontais que atravessam as Squads são os Chapters, nada mais do que profissionais do mesmo setor. Ou seja, todos os funcionários do setor financeiro, por exemplo, estarão alinhados entre si a respeito do que está acontecendo. Entendeu?


As Tribes são a junção de duas ou mais Squads, que possuem objetivos similares e/ou áreas correlatas e precisam estar em maior conexão. E, por fim, a terceira maneira de manter as Squads alinhadas são os Guilds. Este trata-se de grupos formados por integrantes de qualquer área, mas que possuem afinidade, ou seja, se interessam por algum assunto em comum e, por isso, se juntam para manter uma comunicação e trocar conhecimento, ferramentas e códigos. Tudo em prol do desenvolvimento! \o/


Tendo isso em vista, este modelo é capaz de reestruturar uma instituição e trazer diversos benefícios para a saúde organizacional!


Com um grupo mais enxuto, a comunicação é muito melhor entre os profissionais, permitindo um autogerenciamento e tornando o processo mais ágil e produtivo. Falando em produtividade, não podemos esquecer que, além de apresentar um time mais focado e concentrado, os processos não ficam barrados em setores específicos, porque todos trabalham juntos pelo sucesso do projeto.


A capacitação é outro fator interessante de ressaltar. Com a multidisciplinaridade, há uma troca intensa de conhecimento e experiência dentro da equipe, fazendo com que todos “saiam ganhando” e ainda mais capacitados.


A estrutura Squad, além de ser um modelo auto-organizado, cross-funcional e apresentar autonomia suficiente para decidir o seu próprio processo interno, pode fazer uso de várias metodologias ágeis, como o Scrum e o Kanban, para trabalhar de forma ainda mais eficiente.


E aí, conta pra gente: já está formando squads aí no seu trabalho?



Fonte:

https://medium.com/mulheres-de-produto/como-funcionam-os-squads-no-nubank-e1194a6f2a9e

https://blog.aevo.com.br/squads/

https://insights.invillia.com/pt/squads3/

https://blog.tecnospeed.com.br/o-que-e-squad/



PUBLICAÇÕES RECENTES

NOSSAS REDES SOCIAIS 

  • Facebook
  • Instagram
  • Linkedin