Conversa com aluno: "tem que ser mão na massa"

"A área de Desenvolvimento de Novos Negócios está muito relacionada a inovação – o que não é, obrigatoriamente, tecnologia."

Lívia Yasuda, 29 anos, formada em Administração pela FGV-EAESP, paulista e paulistana. Calma, que? A gente não é esse tipo de escola chata não, vamos lá!!!

Lívia é uma aluna super querida e especial! E topou compartilhar com a gente um pouco da trajetória dela e de tudo o que ela conquistou!

Com início de carreira como trainee na Arezzo&Co, Lívia passou um ano na Schutz (sonho de toda e qualquer mulher brasileira kkk) trabalhando com Planejamento e Performance $$$ e aprendendo como funciona o mundo das grandes corporações.

Justamente por causa de sua incrível performance, foi convidada para criar a Fiever, nova marca do grupo que é um baita sucesso hoje em dia! Foi então que Lívia começou sua carreira com Business Development, se apaixonando por novos negócios, inovação, desafios diários e metas de crescimento...

A área de Desenvolvimento de Novos Negócios está muito relacionada a inovação – o que não é, obrigatoriamente, tecnologia. Envolvendo muita análise de oportunidades de negócio (serviços e produtos, marketsize, financials, etc), também é preciso entender bastante sobre o desenvolvimento de um business plan, com olhar no futuro para traçar objetivos claros. Até o alcance das metas, o caminho envolve negociação com fornecedores, análise e mitigação de riscos, planejamento de marketing, gestão e acompanhamento da operação – sempre de olho nos indicadores...

Ou seja: execução, execução, execução! Muito trabalho mesmo, muitas características de pessoas multifacetadas e adaptáveis, prontas e abertas para aprender coisas novas todos os dias.

Um tempinho depois, em 2016, ela foi para o iFood, trabalhar também com Business Development e Inovação. Vocês não fazem ideia do que a Lívia criou...

SIMPLESMENTE O iFOOD SHOP – o famoso marketplace voltado para restaurantes, sabe? Pois é!!! Sucesso, sucesso e mais sucesso... para então embarcar em outro desafio: iFood Box.

Trabalhar em uma – então – start up não é nada fácil :/ As mudanças de cenário são constantes, o que requer muita flexibilidade por parte da equipe, para rápida adaptação e aprendizado. Foi uma experiência excelente para desenvolver um olhar em relação ao impacto da tecnologia no mundo e ver que “crescer rapidamente” tem várias dores para a empresa e todas as pessoas que a compõem.

Para a Lívia, é necessário ter um “olhar de dono”, ser bastante flexível e adaptável, e estar disposto a trabalhar em um ambiente com mudanças frequentes para, então, poder fazer parte de uma startup. Simplicidade no dia a dia é fundamental para tocar as tarefas de forma eficiente, estabelecendo processos que funcionam e criando rituais de tomada de decisão de forma estratégica, sabe?

Tentando se preparar um pouquinho para o grande desafio, Lívia leu o livro “Incansáveis”, que fala bastante sobre a cultura de uma empresa e como trabalhar em uma startup – anota aí essa dica show!!!

Depois do iFood, Lívia foi para o Nubank – onde ainda está trabalhando (e amando!!!). Também com fortes características de start up, o revolucionário banco apresenta um cenário que exige um olhar de dono para cada projeto. Lá, Lívia vivencia um dia a dia super mão na massa – afinal, precisa fazer as coisas acontecerem, né?! 😉

Além de todo o aprendizado técnico e das experiências profissionais, Lívia contou pra gente que se surpreendeu demais no Nubank por causa de sua cultura e estrutura incríveis! Foco no consumidor, prezando por uma boa qualidade de vida e com autonomia descentralizada, ela tem certeza de que é um estilo ideal e um pouco inédito de se trabalhar.

Que delícia, né? Trabalhar em um lugar que conversa com os seus valores...! Aqui somos como Nubank: costumer focused, always!!!

PUBLICAÇÕES RECENTES